29 agosto, 2016

Formação para o catequista: Quem é Jesus?







Retirado do livro  A fé cristã para catequistas- Pe. Leomar Brustolin (Paulinas)

Jesus passou fazendo o bem

A missão de Jesus é anunciar a Boa-Nova do Reino de Deus. Toda palavra e ação de Cristo revelam o projeto salvador do Pai para humanidade. Com Jesus, o Reino já chegou e está no meio de nós. Os milagres, sinais, curas e exorcismos que ele pratica revelam seu poder sobre tudo: a natureza, as doenças, os demônios. Por isso, Jesus pode agir na liberdade de quem quer libertar os outros de toda escravidão. Ele é o Messias de Deus, fez bem todas as coisas e passou pelo mundo fazendo o bem.


Luz da Bíblia

Após trinta anos, vivendo em Nazaré, Jesus deu início à sua vida pública (cf. 3,23). No rio Jordão foi batizado por João Batista, quando o Espirito Santo veio sobre ele na forma de uma pomba e ouviu-se a voz do céu: "Este é o meu filho bem-amado" (Mt 3,17). Levado pelo Espíro ao deserto, Jesus vence as tentações de Satanás e confirma sua obediência e amor ao projeto do Pai (cf Lc 4, 1-13). Começou a andar pelos povoados e aldeias, anunciando o Evangelho: " Esgotou-se o prazo. O Reino de Deus está aqui. Mudem de vida. Acreditem nessa Boa-Nova" (Mc 1,15).

Os apóstolos o acompanharam (cf. Lc8,1). Jesus pregava o Reino de Deus por palavras e obras, realizando numerosos milagres, prodígios e sinais (cf. 2,22). Sua fama se espalhou por todo o lugar (cf. Mc 1,28). A multidão o seguia, e ele curava toda sorte de doenças e enfermidades (cf. Mc 1,32-34). Com Jesus, "os cegos recuperam a vista, os coxos andam, os leprosos são  purificados e os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres é anunciada a Boa-Nova" (Mt 11,5).

Ele veio "para que todos tenham vida, e vida em abundância" (Jo 10,10). No monte tabor, Jesus se transfigura na frente de Pedro, Tiago e João (cf. 9,2-10). Ao chegar a hora de seus sofrimentos, Jesus tomou o caminho de Jerusalém (cf. Lc 9,51). Lá o Cristo realiza a Páscoa de sua paixão, morte e ressurreição.

Na fé da Igreja
Os mistérios da vida de Jesus

Toda a vida de Jesus revela o mistério de Deus no meio de nós. Desde a gruta de Belém até o último grito na cruz, do túmulo vazio na madrugada da ressurreição até a subida ao céu, tudo na vida de Jesus é revelação do mistério de Deus. Cada gesto e milagre, cada palavra e silêncio, seus sofrimentos, sua maneira de ser, tudo se revela na divindade e a salvação que ele traz. No mistério do Natal, contemplamos a Virgem que traz ao mundo Deus do Universo, nascido, como criança, num estábulo. Durante a infância na vida oculta em Nazaré, ele conviveu com sua família, aprendeu o ofício de carpinteiro e frequentou a sinagoga, como judeu fiel.Tornou-se aluno da história de seu povo, aprendendo com seus sofrimentos, pobreza, miséria, violência e exploração.

Nos mistérios da vida pública de Jesus, contemplamos seu batismo por João, quando é apontado como "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" (Jo 1,29). No deserto, ele vence as tentações, porque não veio para ser um Messias milagreiro, guerrilheiro e poderoso. Cumprindo a vontade do pai, que o enviou. Cristo inaugura o Reino dos Céus na terra. No Monte Tabor, em sua transfiguração, Jesus mostrou, por um instante, sua glória divina. Entrando em Jerusalém, ele é aclamado como Rei-Messias. O Cristo vai realizar sua páscoa, o mistério de sua paixão, morte e ressurreição, porque tinha chegado sua hora: a hora de consumar a missão que recebeu do pai. Foi Fiel e obediente até o fim e por isso o Pai o glorificou.

A Boa-Nova
O grande anúncio de Jesus é o Reino de Deus. É o centro de toda sua pregação e vida. Todos são convidados a participar desse Reino, mas para entrar nele é preciso conversão: acolher a Palavra de Deus e viver conforme sua verdade. Essa Boa-Nova Jesus anuncia especialmente aos pobres. Eles são bem-aventurados, "deles é o Reino dos céus" (Mt 5,3). Na mesa de Jesus, havia lugar para pecadores, impuros, mulheres marginalizadas e gente mal falada. Devolvia  a dignidade que tinha sido tirada deles. Procurou sempre os mais excluídos, como o Bom Pastor que resgata a ovelha perdida. Ensinava em qualquer lugar, na montanha ou à beira-mar. Falava simples, contando parábolas. Desafiava os apóstolos: "Dai-lhes vós mesmos de comer" (Mt 14,16). Ensinou que o poder deve ser o serviço ao próximo (cf Mt 20,24-28), e deixou o exemplo, lavando os pés de seus amigos, para que fizessem o mesmo. Chamava Deus de Pai e disse que não se pode amá-lo sem amar os irmãos.

Todos os gestos de Jesus mostram o rosto amoroso desse Pai misericordioso que ache, perdoa e ama sempre. Depois de dar a vida por amor (cf. Jo 15,13) e ressuscitar, deu aos apóstolos a missão de pregar a todos os povos a mensagem do Evangelho, para que o gênero humano se torne a família de Deus na qual o amor seja a lei maior.

Os milagres e os sinais
A preparação de Jesus é acompanhada de obras. São inúmeros milagres, prodígios, exorcismos e sinais que provam ser ele o Messias. Os milagres são sinais, em primeiro lugar, do Reino de Deus que chegou, que vem com Jesus. É um testemunho direto da novidade de Deus que entra na história. É o próprio Deus agindo na vida das pessoas com poder, manifestando sua  justiça misericordiosa, sua libertação e salvação. Os milagres  não são mágica que Jesus  faz para impressionar, mas são sinais de que ele é o Cristo, o Filho de Deus que quer salvar de todos os males e de todo o pecado. Contra males da natureza, acalma os ventos e tempestades; contra os mais espíritos, expulsa-os; contra a ignorância e o erro, ensina e corrige o povo; contra o abandono e a solidão, acolhe e ouve a todos; contra o medo, devolve a esperança. Onde a vida não está sendo bendita e abundante lá Jesus  age. O seguidor de Jesus aprende com ele a ser fermento na massa, transformando a vida e os relacionamentos com Deus, entre os irmãos, na sociedade, e com a natureza.



25 agosto, 2016

Planejamento de Encontro- Crisma com jovens adultos: Bíblia

Encontro n°3: Introdução à Bíblia*



Objetivo: Introduzir os adultos no conhecimento simples da Bíblia e espertar o amor pela escuta da Palavra de Deus.

Ambiente: Preparar o caminho conforme foi feito no primeiro encontro e escrever sobre eles as frases: Aonde vamos chegar? Quem vai nos conduzir neste caminho?

Colocar, no meio da sala, uma caixa-surpresa, com várias caixas menores, uma dentro da outra, e na última incluir a Bíblia.

Acolhida
Acolher cada participante pelo nome, com um abraço ou aperto de mão.

Dinâmica
Formar uma roda
Distribuir os crachás de modo que todos recebem o de outra pessoa.
Abrir um espaço à sua direita e dizer: "minha direita está vaga. Chamo (ler o nome do crachá) para ficar a meu lado, porque é uma pessoa...(falar uma qualidade dela e colocar o crachá em sua roupa.).
Agora, essa pessoa chama aquela cujo nome está no crachá em sua mão.
Continua a dinâmica, até que todos tenham seus próprios crachás.
No fim, canta-se uma música de boas-vindas.

Olhando a vida
Deixar que cada pessoa conte o que viveu durante a semana.
Acabada a partilha, passar a caixa-surpresa de mão em mão e pedir que cada um vá abrindo uma das caixas, enquanto tentam adivinhar o que há dentro da última. Dar pistas como: "É muito bonito. Quem usa, sente-se feliz..."
Quando alguém adivinhar, pedir que abra o embrulho. Enquanto isso, cantar: Tua palavra é lâmpada para meus pés, Senhor..., ou outro.
Colocar a Bíblia em destaque, com flores e vela, e anunciar o tema do encontro do dia: introdução à Bíblia.

Abrindo a Bíblia
Canto: Toda a Bíblia é comunicação, ou outro.
(Introduzir o tema Bíblia, explicando o significado, a quantidade de livros, a divisão da Bíblia)
Fazer o exercício da procura de um texto, seguindo capítulo e versículo: pode ser vocação de Moisés (Ex 3, 1-15).

Usar o texto e seguir os passos da leitura orante.
1. Proclamar o texto.
2. Trazer o texto para hoje: ver cada um dos personagens e encontrar a semelhança com nossa vida atual.
3. Fazer um momento de silêncio e depois conversar:"Que Deus me fala por meio deste texto?
4. Após outro momento de silêncio, conversar: "Que vou dizer a Deus neste momento?"

Pode-se cantar alguns refrões entre um passo e outro, para que a leitura orante se torne verdadeira oração.

Rezando a vida e a bíblia
Rezar o Ofício divino das comunidades conforme o tempo litúrgico e  a hora (manhã ou tarde).
1.Silêncio. Oração pessoal. Refrão.
2. Recordação da vida.
Animador(a): Podemos recordar momentos difíceis em nossa vida, nos quais a Palavra de Deus nos iluminou.
Cantemos o Salmo 119 (parte A) do ofício divino das comunidades, (Refrão 1, p. 154).

A Palavra de Deus que ouvimos e refletimos na leitura orante nos têm tornado mais próximos de Deus?

Vamos expressar os nossos pensamentos e sentimentos em forma de louvor, gratidão e pedidos.
3. Pai-Nosso.
4. Oração-Bênção.
(Terminar com cântico a Maria).

Levando a Bíblia para a vida
Diante do que Deus nos pede, que vou fazer nesta semana?

Lendo a Bíblia em casa
At 9,1-1- A vocação do apóstolo Paulo.

*Encontro retirado do livro: Viver em Cristo- Caminho da fé com adultos (CNBB, Paulinas)

Obrigada. Deus ama você!
Cris Menezes

Catequizando Feliz Blog
http://catequesedeeucaristia.blogspot.com.br

19 agosto, 2016

Planejamento de encontros da catequese



Oi! Já viram os vídeos que gravei sobre planejamento seguindo o método ver-julgar-agir! Se inscrevam no canal!
Fiquem com Deus!


03 agosto, 2016

Vídeo: Dinâmica para catequese: caixinha da conversa






O objetivo desta dinâmica é incentivar os catequizandos a se expressarem mais nos encontros de catequese. Espero que gostem. Nós fizemos esta dinâmica na escola catequética com a orientação da formadora Sandra.






Obrigada.
Cris Menezes