Planejamento de encontro- Espirito Santo e seus 7 dons


Altar deste encontro

Planejamento para Catequese de Crisma
Utilizei este planejamento para catequese com adultos


Ver: Olhando a vida
Ler a história A lamparina da floresta

Lá na beira do rio, já dentro da floresta, mora um velhinho que toda a população ribeirinha conhece. É Felício, o bisavó de muita gente e amigo de todos. Quando alguém adoece, é para a casa dele que corre. Até o padre que passa pela comunidade cristã a cada três meses dorme lá na casinha do vovô Felício. Um dia, o pároco chegou cansado e, depois que atendeu todo mundo que precisava dele, sentou-se na cabana, já de noite, ao lado do velhinho, e os dois começaram a conversar:
-Sua lamparina tem uma luz muito clara, vovô Felício!
-A chama queima óleo de peixe, seu padre.
-É esse o motivo?
-É, sim senhor. Fogo de madeira é vermelho, não é? E chama de óleo é mais clara, por isso dá mais luz.
-Quanta sabedoria! Eu não entendo nada disso.
-É. Pode ser... O "seu" padre veio da cidade, estudou nos livros. Sabe muita coisa que eu não sei.
-Mas o senhor é um sábio, porque sempre conhece um modo de ajudar a todos os que o procuram.
-Nada disso. Sou apenas uma lamparina de barro apagada. É Deus quem me enche com o óleo do seu amor.
-E a chama, o que é?
-É a luz do Espírito Santo que queima o óleo e ilumina a casa.
O padre ficou em silêncio por um bom tempo, deixando que a luz daquela lamparina entrasse no fundo de seu coração. Teve a impressão de estar lá na sala do cenáculo, em Jerusalém, vendo a chama do Espírito Santo no olhar iluminado de um dos apóstolos.

Vamos conversar
1. Vovô Felício diz que sua vida é comparada a uma lamparina de barro. Que isso quer dizer?
2. Na vida do velhinho, o óleo é o amor de Deus. E sua vida, pode se comparar com quê?
3. O fogo é o Espírito Santo, que vive na pessoa e a ilumina. O fogo e o óleo nos lembram de algum sacramento?

Iluminar: Fazer grupos para a leitura da Palavra de Deus
JO 14, 1-11.16-18.23-26.31; 15, 26-27.
Jo 15, 1-17; 16, 13-15.
JO 16, 23-28.33.

Comentário
Jesus veio ao mundo na força do Espírito Santo, com a missão de trazer o projeto do Pai. Ele faz um apelo a sua comunidade para que creia nele, no Pai e no Espírito Santo. A relação entre Jesus e o Pai é de amor e união. O Pai e o Filho se amam muito, e o amor é o Espírito Santo.
Jesus, ao saber que estava chegando o tempo de sua partida para a casa do Pai, começa a aprofundar os seus ensinamentos, mostrando a unidade que existe entre ele, o Pai e o Espírito Santo. Os discípulos têm dificuldade em compreender; Jesus revela o sentido de sua missão, de sua morte, de sua ressurreição, assegura a eles que não os deixará sozinhos, mas enviará, de junto do Pai, o Espírito Santo. Eles terão muitas outras dificuldades, até mesmo de permanecer unidos, por isso Jesus pede ao Pai que conserve os discípulos na unidade, para que o mundo creia.
Em nossa jornada de estudo, estamos percebendo a dedicação que Jesus tem ao projeto do Pai, que o Reino. Ele nos entrega seu programa de vida na oração do pai-nosso, mostra aos discípulos que é ele quem nos introduz na casa do Pai e declara que há um único caminho para tal morada, o qual é ele mesmo e sua verdade, que conduz para a vida plena.
Viver no caminho indicado por Jesus é tarefa para a vida inteira. O Espírito Santo vem em socorro de nossa incapacidade e nos ilumina, inspira, dá coragem e conduz.

Aprofundamento do tema: (Do livro A Fé cristã para catequistas, Pe. Leomar Brustolin)
O Espírito Santo conduz nossa oração ao Pai através de Jesus. Sem a atuação do Espírito Santo, aconteceria com Jesus o que acontece com todas as pessoas que fazem algo de marcante para a humanidade. Um inventor, um músico ou uma personalidade importante de nossa história tem seu nome gravado nos livros, mas são pessoas que ficaram no passado. O Espírito não faz Jesus ser apenas um nome a ser lembrado. Ele faz Jesus ser uma presença real na vida da comunidade cristã. Sem ele, Jesus teria ficado sem atualizar sua salvação para todos os momentos da história. 
O Espírito Santo ilumina e acompanha a vida a Igreja. Assiste a Igreja para mantê-la firme na fé e nos ensinamentos de Jesus. Nos desafios novos que surgem, o Espírito guia a Igreja para poder dar uma resposta aos problemas que aparecem.

Atividade:  (Do livro A Fé cristã para catequistas, Pe. Leomar Brustolin)

Dividir a turma em sete grupos. Cada grupo deverá criar uma encenação, retratando uma situação concreta da vida na qual se revela um dom do Espírito Santo (sabedoria, entendimento, ciência, conselho, fortaleza, piedade e temor de Deus). Porém, sem dizer explicitamente qual é o dom. Os demais grupos, com base na apresentação, deverão identificá-lo.

"Dons são qualidades que Deus nos dá. Eles permitem perceber e viver  suas graças em nossa vida e praticar sua vontade. Os dons despertam-nos para ouvir a voz de Deus em nós e nas coisas criadas por ele.

-Sabedoria: é o dom de perceber o certo e o errado, o que favorece e o que prejudica o projeto de Deus. Não tem nada a ver com cultura. Por este dom, buscamos não as vantagens deste mundo mas o Bem Supremo da Vida, que nos enche o coração de paz e nos faz felizes. Diz o Senhor: "Feliz o homem que encontrou a sabedoria. Ela é mais valiosa do que as pérolas" (Pr 3,13-15). A sabedoria que vem do Espírito Santo "é reflexo da luz eterna" (Sb 7,26).

-Entendimento: é o dom de entender os sinais da presença de Deus nas situações humanas. É o dom que nos ilumina para aceitar as verdades reveladas por Deus. Mesmo não compreendendo o Mistério, entendemos que ali está nossa salvação, porque procede de Deus, que é  infalível.

-Conselho: é o dom de saber discernir caminhos e opções, de saber orientar e escutar, de animar a fé e a esperança. Só assim orientamos bem a nossa vida e a de quem nos pede um conselho.

-Fortaleza: é o dom de ser coerente com o Evangelho, de enfrentar riscos na luta por justiça, de não temer o martírio. São Paulo confiava no dom da Fortaleza. Ele disse: "Se Deus está conosco, quem será contra nós?" (Rm 8,31).

-Ciência: é o dom de saber interpretar a Palavra de Deus, de explicar o Evangelho e a doutrina da Igreja, de fazer avançar a teologia, de traduzir em palavras o que se vive na prática. Por este dom o Espírito Santo nos revela o pensamento de Deus: "Só o Espírito Santo de Deus conhece o que está em Deus"(1Cor 2,11).

-Piedade: é o dom de agir como Jesus agia e identificando no próximo o rosto de Cristo. É o dom pelo qual o Espírito Santo nos dá o gosto de amar e servir a Deus com alegria. Por ser o "amor do Pai e do Filho", o Espírito Santo nos dá o sabor das coisas de Deus.

-Temor de Deus: é do dom da prudência e da humildade, de saber conhecer os próprios limites, de não pedir pu esperar de Deus que ela faça nossa vontade. Não quer dizer "medo de Deus", mas sim medo de ofender a Deus. Mais do que o temor, é respeito e estima por Deus,

Rezando a vida e a Bíblia
Animador(a): Na comunidade cristã, o sacramento da crisma é a confirmação do dom do Espírito Santo em nossa vida. Com o óleo da consagração, o bispo unge a pessoa que decidiu seguir Jesus, e ela é iluminada com a chama da fé e do amor, tornando-se capaz de assumir a missão de anunciar e testemunhar o Reino de Deus.

Levando a bíblia  para a vida: Que nos falta para começarmos a participar ativamente da comunidade cristã?

Encontro do livro:  "Viver em Cristo- Caminho da fé com adultos", CNBB.
Complementei o encontro com alguns textos do livro "A Fé Cristã para catequistas", do Pe. Leomar Brustolin




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Campanha da Fraternidade 2017- Por onde começar?

Caça Tesouro- CF 2017

Como falar da Semana Santa com as crianças- Planejamento