15 fevereiro, 2016

Desapegue-se, catequista!




Sou catequista de Primeira Eucaristia há mais de uma década...Ôpa. Como somos apegados a etapa que estamos trabalhando na catequese! Vocês também são assim ou  sou só eu? Corrigindo: sou catequista há mais de uma década. Melhor assim. 

Durante todo este tempo, só fiquei com turmas de Primeira Eucaristia e durante muito tempo nem imaginava mudar de etapa. Me identifiquei muito com as crianças e adolescentes.  Me sinto mais jovem quando estou com eles. Gosto da alegria deles, do sorriso fácil, da animação, das brincadeiras, da perspicácia e da inocência. Jesus já dizia que quem não tiver o coração de uma criança não entrará no Reino de Deus. Ensinei e aprendi muito sobre o amor de Deus. 

Mas no final deste último ano da catequese, Deus colocou no meu coração o desejo de me aventurar em outra etapa, em especial a catequese com adultos, o oposto da catequese com crianças, não é verdade? E o padre, depois da nossa formação, me lançou o desafio de ir para a catequese de Crisma com adultos. Claro, disse sim, mesmo com o coração apertadinho por deixar a Primeira Eucaristia, onde tudo começou, onde eu dei meus primeiros passos como catequista e como eu cresci desde o primeiro encontro. 

É importante pensarmos que o catequista deve transitar tranquilamente entre todas as etapas e isso é enriquecedor, não acham? Cada etapa tem seu valor, como na vida, que cada idade tem sua beleza: a infância, a adolescência, a juventude, a  maturidade... A catequese acompanha cada fase desde a sementinha até a Crisma com adultos. 

Ser catequista é se colocar à disposição para o serviço, é ir  onde há mais necessidade de catequistas, e não ficar apegado a uma etapa. O verdadeiro catequista não pode ser catequista de etapa, mas ser catequista da Paróquia e servir, com generosidade e amor, onde for chamado. 

Estou com muita disposição para adentrar nesta nova realidade de evangelização e catequização.  "A catequese com adultos é um desafio e uma prioridade hoje no Brasil. Os batizados não evangelizados apresentam-se para a catequese sem o mínimo contato com Jesus Cristo. Faz-se necessária uma proposta de iniciação cristã". 

Quando entrei na catequese, eu tinha 23 anos e ainda frequentava o grupo jovem. Todos sabem o quanto eu amadureci. Estou com 36 anos e ganhei com as rugas, maturidade como mulher e como cristã. Com este novo começo, me lanço para as águas mais profundas. Catequizar adultos requer uma outra linguagem, outra metodologia, outra dinâmica. Estou pronta? Sim. Estou. Porque o Senhor me chama e me capacita e eu respondo: "Faça-se em mim segundo a Tua palavra". 

Tem algum catequista na etapa de Crisma com adultos? Aceito sugestões de livros, formações e orientações. 


Catequista Cris Menezes
Catequista por amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário