Diário de Catequese: fazer chamada?

O assunto que eu não queria falar. Diário. Não tenho muito apreço por diários. Dei um jeito de sumir com minha chamada, e criei um caderno todo fofo, personalizado, para as crianças assinarem.Não gosto de associar catequese a escola.
Será que é realmente necessário ter chamada nos encontros?



Bom, o que dizem os catequistas:

"É importante que o catequista tenha em mãos um controle de presença e de participação na catequese. O que deve ser evitado é a aplicação do modelo escolar à catequese. O diário da catequese é um instrumento de conhecimento do catequizando, através dele se faz um histórico da participação dos catequizandos nos encontros. Quando um catequizando é transferido para outra paróquia por motivo de mudança é preciso ter um documento que informe à nova comunidade a situação daquele catequizando.Para isso ser realizado faz-se necessário uma infra-estrutura básica: Registro de Matrícula, Diário da Catequese. Este conjunto de documento auxilia o registro da trajetória do catequizando. Por exemplo, uma declaração de freqüência ajudará muito a catequese da comunidade para a qual a criança se mudou." fonte centraldocatequista.blogspot.com.br


O caderno para assinaturas  não foi suficente, porque eles assinaram o caderno, mas eu não acompanhava a frequência. No final, acabei  resgatando a velha e boa chamada, para ter controle da situação, afinal precisava saber dos faltosos.

Hoje, refletindo sobre o assunto, cheguei a uma conclusão: o acompanhamento de frequência é necessário. Isso é indicutível. Mas não precisamos adotar o mesmo método escolar para a frequência. Por essas e outras que é difícil desvincular catequese e escola na cabeça dos catequizandos, pais ( e até alguns catequistas), já que roubamos algumas metologias da escola para catequese. Eu vou fazer assim: Vou ter um Diário de Catequese e o Caderno de Frequência. O caderno vai passar  para ser assinado em todos os encontros. Em casa, irei passar a frequência do caderno para chamada e verificar quem faltou. O controle da frequência será feito sem a chamada escolar. Simples assim.
Pensamento bobo: Será que Jesus fazia chamada: João? Pedro? Filipe? Bartolomeu? Judas? rsrs
Acho que não. Mas acho que nosso Mestre estava com os olhos grudados em seus discípulos.

Catequista Cris Menezes



Comentários

  1. Cris e é um fato incontestável também que responder "presente" não significa que a pessoa está ali presente... às vezes é só presença física, o pensamento está longe! É necessário saber quem está faltando para uma visita, um chamego, um "estou sentindo sua falta"... Bjks Tetê

    ResponderExcluir
  2. Teté, você tem toda razão. É tão bom fazer visitas!! :)

    ResponderExcluir
  3. Sensacional a ideia. Quanto mais diferente de escola melhor né Cris? Um abração!

    ResponderExcluir
  4. Cris ficou fofo o seu diário disfarçado...rs Paz de Cristo!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom!
    Seria interessante registrar uma foto do grupo em todos os encontros.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Evandro! Claro, eu registro todos os meus encontros de catequese sim. Tenho fotos bem antigas. :)

    ResponderExcluir
  7. na turma anterior de nossa comunidade adotamos um crachá para os catequizandos, dessa forma eles serviam de chamada, já que nos faltosos nós colocávamos um símbolo na parte de traz do crachá, assim nós tínhamos o controle de quantas faltas cada um tinha.Deu certo.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Walquiria
    Obrigada pela sua visita! A ideia do crachá é ótima. Vou levar como sugestão. Deus abençoe!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Campanha da Fraternidade 2017- Por onde começar?

Caça Tesouro- CF 2017

Como falar da Semana Santa com as crianças- Planejamento