Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2013

Dinâmica de revisão: Curtir, não curtir ou compartilhar! Revisão-1° tempo

Elaborei uma brincadeira inspirada no facebook para revisarmos o conteúdo do primeiro semestre. 

Resumo: Os catequizandos serão divididos em grupos para responderem, completarem e avaliarem questões referentes aos encontros de catequese.

Objetivo: Propiciar integração dos catequizandos e revisar os encontros.

Preparação
Fazer placas: "Curtir", "Não curtir", "Compartilhar".

 Regras

- O grupo  terá um tempo cronometrado para responder a questão. Terminado o tempo, o administrador(que será escolhido pelo grupo) levantará uma das três placas:  
-Compartilhar: Responder ou completar a publicação.
 -Curtir: Não sabe  a resposta. Automaticamente, a publicação será repassada para o próximo grupo.
 -Não curtir: Se a publicação tiver uma informação falsa. Corrigir e publicar no mural.
 - As ações realizadas serão publicadas no mural de cada grupo.

Iniciando o jogo
-Formar os grupos. Cada grupo será chamado de "comunidade" (pedir que escolham um nome).
-Entregar para …

Teia da Amizade

Fizemos a dinâmica Teia da Amizade no início do encontro e foi muito divertido. Só que ao invés de o catequizando se apresentar, ele fazia uma oração de agradecimento e jogava o barbante para outro catequizando.


Instruções:

"O coordenador toma nas mãos um novelo (rolo, bola) de cordão ou lã. Em seguida prende a ponta do mesmo em um dos dedos de sua mão. Pedir para as pessoas prestarem atenção na apresentação que ele fará de si mesmo. Assim, logo após se apresentar brevemente, dizendo que é, de onde vem, o que faz etc, joga o novelo para uma das pessoas à sua frente.Está pessoa apanha o novelo e, após enrolar a linha em um dos dedos, irá repetir o que lembra sobre a pessoa que terminou de se apresentar e que lhe atirou o novelo. Após faze-lô, essa segunda pessoa irá se apresentar, dizendo quem é, de onde vem, o que faz etc... Assim se dará sucessivamente, até que todos do grupo digam seus dados pessoais e se conheçam. Como cada um atirou o novelo adiante, no final haverá no interior…

O que é a catequese?

"Catequese é comunicação. É comunicação porque faz ecoar no coração da humanidade a palavra de Deus, o projeto de amor, comunhão e salvação que nasce do coração do Deus uno e trino e que se revela e se realiza plenamente no verbo que se faz carne: Cristo Jesus.  Catequizar é fazer com que as pessoas, impulsionadas pela fé, conheçam, amem e proclamar Jesus de Nazaré como Filho de Deus e Senhor de suas vidas, vivendo em comunhão de amor, testemunhando-o pela vida, pelo anúncio e pelo compromisso com a vida de todos. Se antes, a família e a sociedade ajudavam os cristãos a se iniciarem na vida cristã e exerciam uma função evangelizadora, hoje, não se pode supor a fé. É preciso que a catequese assuma esta missão. Uma catequese a serviço da iniciação à vida cristã é uma necessidade apontada pelos atuais documentos da Igreja. A catequese é, pois, escola de formação de discípulos e missionários de Jesus enquanto quer levar as pessoas ao encontro pessoal com Ele na comunidade de fé. Assi…

Catequista também é gente

"Catequista e seu tempo- 'Catequista também é gente', costumam dizer. E essa afirmação aparentemente tão óbvia, esconde algumas questões importantes sobre as quais se deve refletir. Catequista é pessoa inserida no seu contexto, tão sujeita às influências do seu tempo  como qualquer outra pessoa. Catequista também fica confuso(a) e às vezes, se pergunta: 'Quem sou eu no meio de tudo isso?', 'Como devo agir?', 'Que caminho seguir?'. São Paulo já chamava atenção daqueles que, no seu tempo, pareciam estar desorientados: 'Não vos conformeis com este mundo, mas transformais-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom o que lhe agrada e o que é perfeito'(Rm 12,2). Essa 'regrinha de ouro' certamente pode ajudar o(a) catequista a se situar quando situações conflituosas aparecerem, colocando, de um lado, as pressões dos tempos de hoje e, de outro, sua vocação e missão. Se…

Metodologia catequética: Ver-iluminar-agir-celebrar-rever

Ver: É olhar para a realidade nas suas dimensões social, econômica, política, cultural, religiosa, etc. É um aproximar-se da vida e das pessoas e perguntar-lhes sobre o que estão vendo pelo caminho (cf Lc 24). É questionar, provocar um olhar crítico. É deixar  o coração transbordar e ouvir com atenção. Várias dinâmicas e técnicas poderão ser usadas conforme a idade e a situação do grupo.
Iluminar: Confrontar a realidade com a Palavra de Deus, os ensinamentos do Magistério e da tradição da Igreja. Confrontar essa realidade com o projeto de Deus, para que possamos compreendê-la e agir sobre ela, para transformar tudo o que vai contra a vontade do Pai e fortalecer tudo o que colabora para a construção do Reino. É anúncio e denúncia, por isso, carrega em si uma dimensão profética. Isto exige do catequista estar bem preparado(a) e buscar uma linguagem possível de ser compreendida pelo grupo de catequizandos(considerar a idade, a maturidade, a participação na vida da Igreja etc).
Celebrar: É …

Quem é Jesus para você?

"Jesus continua a nos interrogar hoje: Quem eu sou para você? Trata-se de pergunta intrigante à qual nem sempre conseguimos dar resposta adequada. E a resposta mais adequada  não consiste nas palavras que aprendemos no catecismo, mas, sim, no compromisso que firmamos com o projeto de Cristo. Não basta dizer que Jesus é um profeta ou uma grande personagem que nasceu e viveu há dois mil anos. É preciso fazer nossa a resposta de Pedro: Jesus é o Messias de Deus. Isso significa acreditar que ele é o Filho de Deus, o ungido pelo Espírito para uma missão. Encarnando-se no seio de Maria, Deus, em Jesus, veio morar entre nós. Quando respondemos sabiamente e nos comprometemos com Jesus, mostramo-nos dispostos a assumir a cruz do dia a dia. Olhamos sempre adiante com otimismo e não nos amedrontamos com as dificuldades que surgem diante de nós. Jesus não foi ao encontro da cruz; ela veio até ele à medida de sua fidelidade ao Pai. Também nós não precisamos inventar cruzes para demonstrar no…

São Francisco de Assis

Sábado iremos falar sobre os santos e escolhi São Francisco de Assis.




História

"Giovani de Pietri era um jovem miudinho e fraco, porém muito rico e que morava na França. Seu pai tinha tantas riquezas que poderia dar-lhe tudo o que ele quisesse, mas esse jovem não era feliz. Ele sentia uma enorme tristeza em seu coração vendo tanta gente passando fome em sua volta. Foi então que começou a dar aos outros um pouco do que tinha.
Seu pai ficou furioso! Achou que ele tava maluquinho, doido, completamente pirado! Ele não entendeu o quanto fazia bem a Giovani ajudar os outros. Aí, ele resolveu sair de casa para poder ficar perto de quem precisava dele. Foi então que Giovani rompendo com seu pai rasgou todas as suas vestes e partiu da casa de seu pai, sem dinheiro, sem roupas, sem nada. Ele decidiu pelo voto de pobreza e se ofereceu como servo do próximo.
As pessoas começaram a chamá-lo de Francisco que quer dizer pequeno francês e o sobrenome assis veio por causa da cidade onde morava. Entã…

Dinâmica de Oração

Entendemos a oração como diálogo com Deus, uma conversa franca entre amigos que se encontram, na vida cotidiana ou em momentos 'especiais'. Vemos que há muitos modos e métodos de oração. Para alguns, é preciso silêncio e contemplação profunda; para outros, é preciso música e dança; para outros, ainda, deve ter um rigor próprio, enquanto há quem prefira a espontaneidade. A catequese pode e deve colaborar para que as pessoas conheçam e vivam momentos orantes, celebrativos, que eduquem para a vida de oração. Desta forma, a catequese ensina a rezar, conforme o Diretório Geral de Catequese aponta em seu número 85. Será importante oferecer aos catequizandos essa variedade, de forma que eles mesmos possam construir uma identidade orante, individual e comunitária. Seguem algumas pistas:
1. Rezar com a Bíblia
A leitura orante, os círculos bíblicos, as celebrações da Palavra, o ofício divino das comunidades, a oração por meio do evangelho do dia ou do domingo, a oração com os salmos são…

Planejamento do Encontro: Aliança: Pacto de Amizade- Catequese Primeira Eucaristia

Imagem
"No terceiro mês, depois de sua saída do Egito, o povo chegou a um monte chamado Sinai. Moisés subiu sozinho a montanha e lá Deus lhe falou:'...Se vocês obedecerem o que eu estou falando e forem fiéis à minha Aliança, vocês serão para mim o povo mais querido entre todos os povos...' O povo aceitou essa aliança de amor com Deus. Foi um compromisso de fidelidade entre Deus e as pessoas. Esta aliança foi feita entre Deus e o seu povo e, ao mesmo tempo, entre Deus e cada pessoa desse povo. O povo aceitou a oferta de amor de Deus e prometeu fazer a Sua vontade.  Deus deu para o povo uma lei, apresentada nos Dez Mandamentos, sinal da Sua Aliança com o seu povo. Aliança é o compromisso de amor e fidelidade entre Deus e cada um de nós." (Fonte: Primeiro livro do catequizando, Irmã Mary Donzellini)

Planejamento: Aliança com Deus
Interagindo: Fazer, com a ajuda dos catequizandos, um comentário sobre as normas vividas na casa de cada um, o que é permitido, o que é proibido... Ex…

Santos Juninos: São João, São Pedro, São Paulo

Imagem
Junho é o mês das festas juninas. Nossas paróquias organizam barraquinhas com comidas típicas, quadrilhas...Mas vamos entender melhor o significado disso tudo para a nossa fé?! 

"Junho e julho são meses ricos em histórias da vida dos santos: dia 13 é a festa de Santo Antônio, um dos santos mais populares da Igreja. São João, comemorado no dia 24, filho de Isabel e Zacarias, primo de Jesus e batizador, ficou então conhecido como João 'o batista'. Dia 29 é dia de São Pedro, pedra viva sobre a qual Jesus quis edificar sua Igreja(Mateus 1, 18); tornou-se o primeiro Papa. No mesmo dia celebramos também São Paulo, grande missionário. As festas juninas como ficarão conhecidas, são celebrações religiosas, pois são memórias dos santos da Igreja. Nessas festas é costume organizar 'quermesses' com atrativos típicos: barracas, pipocas, bandeirinhas, balões, fogueiras... Vamos fazer uma leitura catequética desses símbolos e, ao olharmos para eles, poderemos extrair uma mensag…